Linhas de Pesquisa e Grupos de Pesquisa

 

LINHAS DE PESQUISA

Linha 1 – Dança, Corpo e Cognição

Ementa: A linha propõe compreender a dança como ação cognitiva do corpo em seus fluxos relacionais, comunicacionais e sistêmicos e também em leituras políticas e biopolíticas. Abriga pesquisas interessadas em investigar memórias, gestos, imagens, diferenciados modos de organizar o movimento, estratégias de composição, improvisação e performance, procedimentos artísticos e pedagógicos.

Docentes Permanentes: Gilsamara Moura, Lenira Peral Rengel e Márcia Virgínia Mignac da Silva.

 

Linha 2 – Processos e Configurações Artísticas em Dança

Ementa: Estudos dedicados à caracterização e análise crítica tanto dos processos envolvidos na prática compositiva da dança, quanto das suas resultantes configurações artísticas consideradas em suas articulações contextuais, interfaces tecnológicas, implicações políticas e estéticas.

Docentes Permanentes: Adriana Bittencourt Machado, Carmen Paternostro Schaffner, Daniela Bemfica Guimarães, Fabiana Britto, Ludmila Pimentel, Lucas Valentim Rocha e Paola Berenstein Jacques.

Docentes Colaboradoras e Colaborador: Ciane Fernandes, Joubert de Albuquerque Arrais e Mirella de Medeiros Misi.

 

Linha 3 – Mediações culturais e educacionais em Dança

Estudos que articulam a Dança com outras áreas de conhecimento em uma perspectiva inter e transdisciplinar. Dedica-se à investigação das concepções, composições e implicações políticas, culturais e educacionais, em diferentes contextos, que desenvolvem e mediam processos e modos de organização em Dança.

Docentes Permanentes: Lúcia Matos, Maíra Spanghero e Rita Ferreira de Aquino.

Docente Colaboradora e colaborador: Ana Elisabeth Simões Brandão e Thiago Santos de Assis.

 

Linha 4 – Dança e Diáspora Africana: expressões poéticas, políticas, educacionais e epistêmicas

Reúne pesquisas que abordam a produção de dança nos territórios da diáspora. Fomenta a produção de conhecimento crítico em torno dos fazeres e saberes engendrados pelas danças negras, concebidas como poéticas políticas que articulam e interseccionam modos de vida afro-diaspóricos, tradições, estéticas, corporalidades e cosmovisões. Corrobora com as reflexões críticas em pesquisas que se dedicam: à experimentação dos procedimentos de criação em Dança, à elaboração e constituição de treinamentos, à análise de técnicas corporais e suas especificidades, às estratégias de produção cultural e artística, às políticas afirmativas e de representação étnico racial no campo das artes, à geração de epistemologias próprias, aos processos de estruturação e difusão de pedagogias e metodologias de ensino, aos diálogos e mediações entre tradição e contemporaneidade, às relações entre memória e ancestralidade, bem como às possíveis correlações desses temas nos territórios da diáspora negra no Brasil e no exterior.

Docentes Permanentes: Amélia Vitória de Souza Conrado, Daniela Maria Amoroso, Fernando Marques Camargo Ferraz

Docentes Colaboradoras: Lara Rodrigues Machado e Maria de Lourdes Barros da Paixão.

 

GRUPOS DE PESQUISA

1 – 2001 Elétrico - Grupo de Pesquisa em Ciberdança Data de criaçao: 01/01/2001

Primeira líder:Ludmila Pimentel

Segunda lider: e Mirella Misi

Escopo da pesquisa: O "Elétrico - Grupo de Pesquisa em Ciberdança" é uma das ações desenvolvidas pelo LAPAC (Laboratório de Pesquisa Avançadas do Corpo) da Escola de Dança da UFBA. Este grupo terá como objeto central de pesquisa a dança contemporânea em interface com a linguagem das tecnologias analógicas e digitais, interativas ou nao. Este grupo visa preencher uma lacuna existente na pesquisa e na graduação da Escola de Dança, já que almeja aprofundar e construir conhecimentos específicos na área de conhecimento relativa a dança e novas tecnologias, observando, mas também produzindo, essas novas formas contemporâneas híbridas; inserindo e contextualizando a Escola de Dança no ambiente tecnológico e digitalizado em que vivemos. O Grupo tem como finalidade a produção teórica, relacionada com questões relativas a Cibercultura e Ciberdança, e também a produção coreográfica sob forma de vídeos, instalações e espetáculos.

 

2– 2002 Grupo Interinstitucional Corpo e Ancestralidade- GIP

Primeira líder: Inaicyra Falcão dos Santos

Grupo Interinstitucional Corpo e Ancestralidade- GIP

Certificado; Ano de Formação 2002

Estes grupos são focos articuladores de docentes e discentes, incluindo a graduação, bem como têm contribuído para a geração de conhecimento. Os Grupos de Pesquisa proporcionam encontros que visam o estudo acadêmico sobre Dança e abordagens correlatas. Os Grupos de Pesquisa promovem eventos, seminários construindo uma rede entre a Pós-Graduação e Graduação, não apenas nas apresentações de trabalhos artísticos e acadêmicos, mas, também, na organização dos mesmos. Com sua característica pautada na diversidade sem se afastar da dança como o foco geracional de conhecimento, o Programa de Pós-Graduação em Dança, mestrado e doutorado, promove através dos seus grupos de Pesquisa a exposição de diferentes abordagens e seus eixos epistemológicos. Os Grupos de Pesquisa alimentam continuamente a produção de conhecimento em Dança através de ações permanentes.

 

3 – 2006 Grupo de Pesquisa Laboratório Coadaptativo LabZat

Criado em 2006

Primeira líder: Fabiana Dultra Britto

Segunda líder: Adriana Bittencourt Machado

A pesquisa dedica-se, desde 2006, ao estudo das relacões de coimplicação entre pesquisa acadêmica e prática artística em Dança, instaurada na universidade a partir da inserção da Dança no sistema acadêmico de pós-graduação do Brasil, situando histórica e criticamente os aspectos históricos, epistemológicos, metodológicos e conceituais envolvidos nas 4 hipóteses até agora levantadas : da similaridade, da especificidade e da contradição e da coimplicação.

 

4 – 2007 PROCEDA - Políticas, Processos Corporeográficos e Educacionais em Dança

Primeira líder: Lúcia Matos

Segunda líder: Cecília Accioly

Criado em 2007, pela professora Leda Iannitelli, o PROCEDA tem três focos: processos corporeográficos, processos educacionais em dança e políticas públicas para a dança. Nesses treze anos teve vinte e cinco dissertações defendidas; seis monografias de especialização, vinte TCC de graduação, catorze iniciações científicas e duas bolsas Permanecer. A pesquisadora Leda Iannitelli produziu dez espetáculos, dois com prêmios em editais, com apresentações nacionais e internacionais e uma residência artística, nos EUA.

 

 

5 – 2010 Corponectivos em Danças

Primeira líder: Lenira Peral Rengel

Segunda líder: Carmen Paternostro Schaffner

O CORPONECTIVOS em Danças se organiza na pluralidade de conexões que cumprem caráter irredutível entre uma e outra, todavia vinculadas a uma compreensão comum não dualista do corpo (corponectivo) e não dicotômica nas suas ações. As naturezas temáticas, conceituais e metodoloógicas das atuações do Corponectivos convergem no sentido de estar para (o sinal /), pois a singularidade somente tem ação efetiva quando não isolada. Os trabalhos do Grupo propõem a conexão dos sistemas Universidade/Sociedade como (com)vivência, e em (co)imbricamento de pesquisa/ensino/extensão. As linhas de pesquisas do CORPONECTIVOS têm vocabulários que posicionam corpos em concretudes, de ação de teoria e de ação de prática, com a dança, nas cenas artísticas e educacionais, presenciais e virtuais, nucleada com as ciências cognitivas, a cognição situada e epistemologias de culturas não hegemônicas. Este núcleo flui em interesses-eixo como artes, corpos/contextos, dispositivos eletrônicos, enação, ensino/aprendizagem em todas as faixas etárias, filosofias, pensamento contemporâneo, éticaspolíticas situacionais.

 

6 – 2012 UMBIGADA: Grupo de Pesquisa em Dança, Cultura e Contemporaneidade-GPDACCO

Primeira líder: Daniela Amoroso

Segundo líder Denilson Neves

O grupo de pesquisa em Dança, Cultura e Contemporaneidade GPDACCO-UMBIGADA nasceu no ano de 2012 como um grupo de estudos na Escola de Dança da UFBA, sob a coordenação da professora Daniela Maria Amoroso. Vinculado a esse grupo, foi realizado entre 2012 e 2014 o seguinte projeto de pesquisa: Configurações Estéticas em Danças do Brasil: o corpo em contextos de tradição e contemporaneidade, tendo sido contemplado com três bolsas de Iniciação Científica-PIBIC. Em 2015, o grupo inicia a partir da pesquisa de pós-doutoramento de Daniela Amoroso, o projeto: Do miudinho à umbigada: estudos dos passos e gestos do samba de roda no Recôncavo Baiano em processos de criação em dança. Em 2017, o grupo teve duas bolsistas PIBICs vinculadas ao projeto de pesquisa. Em setembro de 2019, iniciamos dois projetos de pesquisa. O primeiro intitulado DO MIUDINHO À PIZZICA AS MULHERES DANÇAM: INTERCULTURALIDADES, GESTOS E POÉTICA EM RITUAIS DE CURA, DEVOÇÃO E FESTA, para o qual a professora Daniela amoroso recebeu bolsa de pesquisa CAPES-PRINT 3 meses; e o segundo: Rapadura, Urucum e Dendê procedimentos coreográficos em Dança, vinculado ao projeto de pesquisa de doutoramento de Denny Neves e do qual dois processos criativos Abois e Chão ser Tão já foram realizados .Atualmente, o grupo localiza seus estudos na grande área das Artes, especificamente na área das danças populares brasileiras. A repercussão de um grupo de pesquisa dedicado aos estudos das danças populares, sejam das expressões culturais rurais, urbanas, festivas, ou de caráter ritual, é o de aglutinar pesquisas que consolidam uma epistemologia ainda frágil na formação das artes em geral, ou seja, o entendimento da estética e da poética das culturas populares, especificamente relativas à dança e suas interdisciplinaridades. Os processos de criação a partir das estéticas populares que se diferem e ao mesmo tempo se comunicam com as estéticas da dança contemporânea e mesmo moderna são bem vindos aos estudos do UMBIGADA.

 

7–2017 Grupo Gira: Grupo de pesquisa em culturas indígenas e repertórios afro-brasileiros e populares.

data de criação: 02/08/2017

Primeira líder: Amélia Vitória de Souza Conrado

Segundo líder: Fernando Marques Camargo Ferraz

O grupo fomenta a produção de conhecimento sobre os fazeres das artes e culturas indígenas, populares e da diáspora africana; seus desdobramentos no campo artístico, educacional e suas mediações e traduções na contemporaneidade. deseja promover a produção, registro e difusão de saberes poéticos, éticos, educacionais e políticos compartilhados pelas comunidades envolvidas nesse campo. Interessa em investigar as epistemes da cultura popular e indígena bem como as mediações desses saberes nos currículos institucionais; incorpora também os estudos dos saberes e fazeres engendrados pelas estéticas da diáspora negra no campo da dança e suas correlações históricas, filosóficas e antropológicas.  Congrega professores doutores, mestres no brasil e exterior, além de alunos de doutorado, mestrado, mestrado profissional e iniciação científica (graduação) e também artistas e pesquisadores independentes em ações de pesquisa distribuídas em duas linhas: linha 1 - danças populares e culturas indígenas: mediações artístico-pedagógicas, traduções e produção de saberes. linha 2 - poéticas políticas negras, mediações entre tradição e contemporaneidade.

 

8 – 2017 ENTRE: Grupo de Pesquisa ENTRE: Artes e Enlaces

Data de criação: 28/08/2017

Primeira líder: Rita Ferreira de Aquino

Segunda líder: Ana Elisabeth Simões Brandão

O grupo de pesquisa tem como objetivo desenvolver investigações praticoteóricas de caráter multi, inter e transdisciplinar em arte, que abordem questões relacionadas a criação artística, educação, currículo, mediação, curadoria e participação social. São princípios do grupo: dialogia, cooperação, colaboração, complementariedade e solidariedade. Suas atividades promovem a integração entre ensino, pesquisa e extensão, articulando Pós-graduação e Graduação com vistas a atuação junto a contextos artísticos, comunitários e de educação formal e não-formal, a partir da produção de conhecimentos e qualificação de sujeitos, contribuindo para a transformação crítica da sociedade em uma perspectiva emancipatória.

 

9 – Grupo de Pesquisa Ágora: modos de ser em Dança.

Data de criação:8/3/2018

Primeira líder: Gilsamara Moura

Segunda líder: Márcia Virgínia Mignac da Silva

O Grupo de Pesquisa destina-se a acolher pesquisas relacionadas à Dança, Arte, Cognição e Política sob o conceito grego da Ágora que significa reunião, assembleia, espaço público, vasta localização. Assim como uma pequena cidade dentro de uma grande constelação UFBA. O Grupo de Pesquisa visa agregar artistas, pesquisadores, estudantes, pessoas ligadas à Cultura, comunidade em geral, contribuindo na formação acadêmica e ampliando pesquisas e estudos em Dança, a fim de colaborar com o crescimento da área de conhecimento Dança. Ligado à Universidade Federal da Bahia que tem 3 Graduações (incluindo EaD), Especialização, Mestrado e Doutorado em Dança, vimos atender, inclusive, à imensa demanda entre os pesquisadores, gestores e artistas de outras instituições para futuras colaborações.

 

10 – 2018 Grupo de Pesquisa CORPOLUMEN: Redes de estudos de corpo, imagem e criação em Dança

Data da criação: Julho 2018

Primeira líder: Daniela Bemfica Guimarães

Trabalha na interação ensino, pesquisa e extensão com foco na produção artístico-acadêmica em Dança, ligando graduação, pós-graduação e artistas em geral interessados na investigação da Improvisação Cênica, da relação Dança e Audiovisual (Cinema e Vídeo) e da Educação Somática.  Em um ambiente de reflexão e produção teórico-prática, o Corpolumen realiza diferentes ações: encontros de estudos, espaços de criação, oficinas, desenvolvimento de obras fílmicas, sessões de estudos e práticas semanais do Improlab-Corpolumen, publicação de livros, pesquisa e geração de material didático, traduções de textos e livros ligados às temáticas do grupo e eventos articulando Universidade e Sociedade. 

 

Português, Brasil