Objetivo

A intenção deste Curso de Mestrado em Dança aborda o corpo como campo de ocorrência dos processos de cognição, comunicação e evolução. Compreende a Dança implicada nos sistemas biológicos e culturais. Assim ela pode ser tomada como campo privilegiado de estudo, pesquisa, ensino, e experimentação em conjunção a áreas de conhecimento direta e indiretamente relacionadas com tais questões. 
 
Objetivamos na proposta do Curso um caráter interteórico que, acolhe e problematiza a complexidade da Dança como área de conhecimento autônoma, todavia implicada em modos de heteronomia, entendida esta como codependência de razões, de normas, de códigos, ainda que questionados em busca de novas corporalidades, de novos modos em Dança. Deste modo as interteorias, as interdisciplinaridades que se fazem em distintas e dispares maneiras de se Dançar, analisar e conhecer Dança, formam um pensamento/ação compartilhado, multifocado e flexível, necessário ao conhecimento (conhecimento como sendo processo criativo e em movimento). 
 
Entretanto, este circuito de afetações não implica em falta de singularidades. Nas especificidades das linhas de pesquisa do Programa, nos projetos de pesquisa individuais, nas disciplinas, nas correlações feitas, ensejamos um vínculo colaborativo continuado entre áreas e saberes, para uma produção de conhecimento que não poderia ser realizada isoladamente. Buscamos, portanto, não traçar caminhos de particularidades empíricas, sem, contudo, nos atermos a formas universais e reafirmamos a necessidade de contribuição de diferentes áreas de conhecimento, dedicadas ao estudo do corpo, da produção artístico-cultural, educacional e da ação do ensino/aprendizagem de Dança e de seus múltiplos e diversos contextos. 
 
Propomos, em coadunação a este vínculo e relações interdisciplinares, uma atuação sistemática em prol da efetivação da não dicotomia entre teoria e prática. O propósito de não dicotomias entre natureza/cultura, interno/externo, emoção/razão, de não dualismo corpo/mente possibilita manifestar para os discentes e ressaltar nos trabalhos e nas aulas a inexistência de outras dualidades. Intentamos tornar evidente que, de maneira recíproca e simultânea, processos corporais e práticas e técnicas de Dança se coativam. Pesquisas, leituras, espetáculos e modos de operar do corpo, que dança, se co-afetam. As linhas de pesquisa do PPGDança, os projetos de pesquisa, ainda que em uma gama tentacular de ramificações, se conectam no mesmo organismo-raiz da relação corpo-ambiente em co-afetação.
 
Pretendemos neste Curso de Mestrado fazer notar que ambiente e/ou contexto não é apenas o lugar em que se está ou o lugar de onde se vem. Ambiente (ambiente da Dança) e corpo estão continuamente coevoluindo, em interações recíprocas e simultâneas, passando por transformações a cada instante, transmitindo-se mutuamente informações. 
Os objetivos específicos são:  
 
  • Atender à crescente demanda por titulação na área;  
  • Efetivar o reconhecimento da Dança como campo de conhecimento cuja especificidade requer a estruturação de instrumental teórico próprio que, no entanto, se articula com outros saberes correlatos para buscar abranger sua complexidade; 
  • Promover a inserção da Dança enquanto área de conhecimento específico no fluxo de saberes novos e os já consolidados que se articulam para subsidiar os estudos e compreensões sobre os processos de cognição, comunicação e evolução;
  • Demarcar um perfil específico para o Curso, mas que abarque, com capacidade de equacionar, perfis múltiplos de pesquisas artísticas, pedagógicas e científicas pleiteantes;  
  • Orientar a realização de pesquisas sobre Dança em linhas de investigação acadêmica compatíveis com a singularidade de cada uma delas e atenção à confluência de saberes própria da natureza complexa de seu modo organizativo;
  • Considerar qualquer corpo como corpo que dança, não importando qual seja a característica, com deficiência ou não; 
  • Subsidiar a prática profissional acadêmica artística e/ou técnica na área da Dança com instrumental teórico e aparato pedagógico atualizados e apropriados às especificidades da área, 
promovendo a necessária implicação entre universidade e sociedade – Como temos desenvolvido a partir do objetivo geral, intentamos que as investigações acadêmicas sejam compatíveis com a confluência de saberes que caracterizam as organizações complexas. Buscamos atualizações constantes e pertinência de referências nos planos de cursos em coadunação com os acontecimentos que estão em ocorrência no mundo e no mundo da Dança. Temos em foco que o subsídio às práticas profissionais acadêmicas em Dança deve ter em conta a indissociabilidade entre ensino e pesquisa e extensão que se distendem na sociedade. Esta distensão é o lugar do exercício, do ato de implicação de uma das funções mais importantes da Universidade: sua relação, ou melhor, seu auto-reconhecimento de que é parte da sociedade. Segundo diretrizes da UFBA é neste encadeamento com a sociedade que se dá sentido à prática profissional, inclusive e, obviamente, da Dança. Como instância pública o PPGDança deve buscar nada menos que excelência acadêmica e relevância social, a fim de demonstrar seu compromisso com a sociedade, com a democratização do acesso ao conhecimento e tornar possível assegurar que o ensino seja aplicado de forma contextualizada, de acordo com as necessidades da sociedade e também nela buscar intervir com ações, projetos, propostas;
 
Manter uma metodologia de investigação das Danças populares, indígenas e afro-brasileiras por meio de instrumental teórico diferente de folclorismos e mitificações, enquanto significando estereótipos, superficialidades e uma perspectiva colonizadora – A proposição é a de se ler essas danças e a história presente e passada destas, em seus espectros abrangentes, como espaços de cruzamento de ideários religiosos, políticos, econômicos, discursivos e artísticos, em permanente tensão e intercâmbios.