Histórico

A criação do primeiro e ainda único Mestrado em Dança do país, com área de concentração em Dança, pela Escola de Dança da Universidade Federal da Bahia resultou de uma conjugação de fatores particularmente favoráveis no que se refere às condições gerais de infraestrutura acadêmica, administrativa e institucional da Escola de Dança, necessárias para a sua concretização.
Implantado em 2006, a situação propícia para a criação do Mestrado em Dança remonta a ações anteriores na UFBA. Em 1997 surgiu o Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas-PPGAC, fruto de uma parceria das Escolas de Teatro e de Dança. Essa estratégia visava fortalecer as pesquisas que já vinham sendo desenvolvidas pelos investigadores dessas Escolas, bem como a formação de novos pesquisadores, inclusive com a qualificação de docentes da própria UFBA.
 
A demanda por um Programa de Pós-Graduação em Dança foi observada dentro da própria UFBA, já que todas as Escolas de Arte tinham seus Programas de Pós-Graduação. A Dança encontrava-se abrigada no PPGAC. Programa este criado em conjunto pela Escola de Teatro e pela Escola de Dança, circunstância histórica importante, em um momento em que a quantidade de professores doutores de cada Escola não era suficiente para garantir-lhes autonomia e viabilizava pesquisas e estudos pós-graduados nas duas áreas (Teatro e Dança).
 
Em termos nacionais observava-se (e se observa ainda) crescente demanda por titulação stricto sensu na área de dança em virtude do surgimento de novos cursos de Graduação em Dança em Universidades públicas (mormente a partir do ano de 2003) e Faculdades particulares. A ocorrência de Cursos de Especialização em Dança, mesmo que vinculados a departamentos de Teatro, Comunicações, Educação Física e/ou Artes Cênicas, de modo geral, mostrava (e ainda mostra) a demanda por titulação característica da área. Tal situação de longo período sem emancipação como área de conhecimento e pesquisa acadêmica específicas, contribuíam, de modo geral, para manter a dança refém da ideia discriminatória e historicamente disseminada, quanto à suposta incompatibilidade entre dança e teoria, dificultando a consolidação de iniciativas desafiadoras desta doxa.
 
Como decorrência do relevante crescimento do PPGAC e do fortalecimento da área da Dança, em 2003 foi fomentada uma ação realizada por meio do Programa de Qualificação Institucional- PQI, da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior-CAPES estabelecido entre a Escola de Dança da Universidade Federal da Bahia (IES/Proponente) e o Programa de Estudos Pós-Graduados em Comunicação e Semiótica da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, o COS PUC-SP (IES/Cooperante). O COSPUC, abrigo pioneiro e inovador de pesquisas em dança Pós-Graduação brasileira, se consolidou com estruturas teóricas que permitiram a ampliação e avanço do conhecimento na articulação da dança com outros saberes, por meio de estudos e pesquisas em abordagens interdisciplinares baseadas na interface entre Arte, Comunicação e Ciência. O PQI se estendeu até o ano de 2008 com o propósito de consolidar as bases estruturais para a pesquisa acadêmica na área de Dança, formando doutores, realizando encontros acadêmicos e produzindo publicações, tendo por finalidade última a função de atuar como plataforma para a implantação do Mestrado em Dança da UFBA.
 
A equipe de Elaboração de Proposta de Criação do Programa foi formada pela Profa. Dra. Fabiana Dultra Britto (presidente); Profa. Dra. Eloisa Leite Domenici; Prof. Dr. Fernando Antonio de Paula Passos; Profa. Dra. Ivani Lúcia Oliveira de Santana; Profa. Dra. Leda Maria Muhana Martinez Iannitelli e Prof. Dr. Norberto Peña.  
 
O projeto foi aprovado no âmbito da UFBA e em 2005 pela CAPES. A primeira turma do Mestrado em Dança ingressou em 2006.
 
O PPGDança atualmente, se volta, graças ao seu quadro docente diversificado, para a pluralidade e diversidade de informações, e o acesso a elas, como condição para a construção de autonomia e para a ocorrência de pensamentos em ações democráticas em Dança.